PRINCIPAL
NOTÍCIAS


Norte Pioneiro sofre com prédios públicos inacabados ou sem uso
De unidades de saúde a casas populares, região vê recursos se perderem com obras que não cumprem seu papel social
Tribuna do Vale
09.OUTUBRO.2019
Com obra paralisada em 2001, Casa da Cultura de Siqueira Campos segue abandonada - Divulgação Com obra paralisada em 2001, Casa da Cultura de Siqueira Campos segue abandonada - Divulgação

Desperdício total de dinheiro público. Assim pode ser classificada a situação de alguns prédios públicos do Norte Pioneiro que não tiveram as obras concluídas ou que por diferentes motivos estão sem utilização. De unidades de saúde a casas populares, a região vê uma importante parcela dos já escassos recursos destinados pelos governos estadual e federal ficarem inúteis em obras que foram iniciadas e em alguns casos finalizadas, mas que não atendem sua função social.

O caso mais emblemático na região é a UPA – Unidade de Pronto Atendimento, de Santo Antônio da Platina. Com um investimento próximo dos R$ 3 milhões, a obra, de 700 metros quadrados, ficou pronta em 2016, porém nunca teve utilização. A situação já seria triste em qualquer lugar, mas é ainda mais revoltante em uma região “exportadora de pacientes”, que tem a maioria dos hospitais deficitários e serviços insuficientes de especialidades médicas e exames.

Felizmente o local está prestes a ser cedido ao Hospital do Câncer de Londrina, que tem um projeto adiantado para instalar uma unidade avançada em Santo Antônio da Platina, passando assim a atender a região em um quesito tão precário.

Outro problema grave com um prédio da Saúde está em Wenceslau Braz, onde o posto da Vila Formosa precisou ser interditado por risco de desabamento. Detalhe: a construção tem cerca de 10 anos, feita originalmente como Clínica da Mulher, e, posteriormente, utilizada como unidade convencional de saúde pelo fim do projeto por parte do governo do Estado.

Mesmo com pouco tempo de construção, o prédio apresenta rachaduras e danos estruturais graves. A prefeitura do município alugou um imóvel para funcionar provisoriamente como posto de saúde no bairro e tenta recursos para uma reforma.

Ainda em Wenceslau Braz, há outro caso mais grave de problema estrutural. Uma creche inaugurada há menos de três anos também precisou ser interditada, igualmente por risco de desabamento. Segundo a prefeitura, ambas as obras foram feitas na gestão anterior e medidas legais são estudadas para buscar compensar os cofres públicos do prejuízo.

E Wenceslau Braz tem uma terceira obra pública sem uso, ainda que por outros motivos. Uma Casa Familiar Rural foi construída no município há mais de cinco anos, porém nunca inaugurada. O governo do Estado não tem projetos para o local, que é pleiteado pela prefeitura.

Já na vizinha Siqueira Campos um caso conhecido em toda região: a Casa da Cultura, obra paralisada em 2001 e até hoje abandonada. Segundo o departamento de Cultura do município, já houve liberação de verba para a conclusão da obra, que pode ser reiniciada depois de quase 20 anos.

Voltando a Santo Antônio da Platina, ainda existe no município a triste situação dos 50 beneficiários que nunca receberam suas casas populares no Conjunto João Furtado, iniciadas em 2012, mas após o abandono das obras pela empreiteira, as moradias ficaram completamente abandonadas. O conjunto habitacional sequer teve a infraestrutura básica feita e, não tem previsão de retomada da construção. Os cidadãos que seriam os proprietários das unidades habitacionais ingressaram com uma ação no Ministério Público Federal para tentar resolver o problema.

Em Jacarezinho duas situações que “seguem nesta linha” dizem respeito ao patrimônio do antigo IBC (Instituto Brasileiro de Café) e a nova creche do bairro do Aeroporto. Os barracões do IBC foram cedidos ao município, mas posteriormente abandonado e alvo de vandalismo. O resultado foi uma multa de mais de R$ 3 milhões à prefeitura. Já a creche foi concluída no primeiro semestre deste ano, porém, até hoje está sem funcionamento. Enquanto isso, as famílias precisam atravessar a BR-153 para levar as crianças até a creche que atende o bairro, o que gera muitas reclamações.

LINHA FÉRREA

Soma-se a tudo isso o patrimônio da antiga linha férrea, já em grande parte destruído ou invadido. Há alguns anos, porém, a Rumo ALL, que administrava esses bens, foi obrigada a restaurar três estações ferroviárias: duas em Jacarezinho (Marques dos Reis e na cidade) e em Santo Antônio da Platina (no distrito da Platina).

Infelizmente nenhuma das três é utilizada pelos municípios ou pela administradora para finalidades culturais e/ou sociais e já começam a apresentar novamente sinais de deterioração. 

Veja Também
Com obra paralisada em 2001, Casa da Cultura de Siqueira Campos segue abandonada - Divulgação
 
 

 

 

Comentários

comentários

ÚLTIMAS NOTÍCIAS
E-mail: comercial@informepolicial.com - reportagem@informepolicial.com
Nota: As matérias assinadas são de responsabilidade de seus autores.
© Informe Policial 2008 - 2019 - Todos os Direitos Reservados